A estudante Emilly Maria Silva de Sena, 17 anos, do 3º ano, do Colégio Estadual Governador Lomanto Junior, em Salvador, recebeu com muita emoção a notícia de que estava entre os 78 estudantes de todo o país selecionados para o programa Parlamento Jovem Brasileiro (PJB) 2016. Ela concorreu com um projeto que determina que estudantes de universidades públicas ofereçam serviços gratuitos para a população, de acordo com sua área de formação. Os estudantes empossados como deputados jovens participam da Jornada Parlamentar, em Brasília, entre os dias 26 e 20 de setembro, quando serão empossados e vivenciarão o dia a dia dos parlamentares.
“Meu Deus, não acredito, que notícia maravilhosa! Estava muito ansiosa por este resultado e confesso que também esperançosa, porque confiava na proposta do meu projeto, que tem uma função social muito importante. Defendo que um advogado, por exemplo, que teve a oportunidade de cursar a sua graduação em uma universidade pública e gratuita, custeada por todos nós,  retribua esse benefício à sociedade, oferecendo algumas horas do seu tempo com prestação de seus serviços”, declara.
No seu projeto, Emilly justifica a sua defesa: “As universidades formam cabeças pensantes, pessoas com alto capital intelectual, as quais são a fonte de esperança em relação à melhoria de diversos setores importantes para o país, tais como educação, saúde, economia, política e demais ocupações. São indivíduos que deverão ser o exemplo de amor pela profissão aliado com a excelência na execução de suas tarefas. Os mecanismos que este projeto oferece podem implantar, ideologicamente, no cérebro do estudante universitário, ideias, inovações, tecnologias e protagonismo – aspectos que devem ser canalizados para o usufruto do Brasil”.
Para a estudante, participar da vida política do país deve ser um interesse permanente de todos os jovens. “Temos que estar atentos e participativos todo o tempo para que possamos ser contemplados nos nossos anseios, como o direito a uma educação de qualidade e ao lazer. Somos partes interessadas em um mundo melhor e mais democrático, então temos que protagonizar esta luta com um olhar mais opinativo e crítico”, considera Emilly.
Da rede estadual de ensino, nove estudantes baianos foram pré-selecionados para o Parlamento Jovem Brasileiro 2016. Ao todo, 24 projetos do Estado concorreram às seis vagas oferecidas.