O metrô de Salvador comemora dois anos de operação com a visita do governador Rui Costa, imprensa e convidados, nesta terça-feira (14), no Pátio Pirajá. Nesse dia, Rui Costa inaugura o novo Centro de Controle Operacional (CCO), considerado o cérebro do Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas. Ele ainda visita as instalações do Pátio Pirajá, complexo de edificações que sedia a CCR Metrô Bahia.

O CCO centraliza todas as informações relacionadas ao funcionamento e operação do metrô. Até final de maio, o CCO funcionava em uma sala da Estação Acesso Norte, com 12 telas que monitoravam a Linha 1. A mudança foi necessária para atender a implantação da Linha 2, prevista para estar concluída em 2017.

O novo CCO é constituído por um videowall formado por 44 telas LCD de 55 polegadas controladas por um gerenciador de imagens com 44 saídas gráficas. A partir dele é possível monitorar as cerca de 800 câmeras distribuídas pelo sistema metroviário, assim como verificar questões operacionais dos trens.

A sala do CCO tem área total de 173,9 m² com pé direito interno de 8,10 m , além de salas de apoio e uma sala de estratégia. O Sistema de Monitoração Eletrônica é informatizado de circuito fechado de TV, com imagens coloridas, concebido para operar em regime de 24 horas por dia, sete dias por semana continuamente, capaz de gravar, exibir, recuperar e processar as imagens obtidas a partir das câmeras de vídeo.

“O novo centro é mais um passo dado no processo de transformação da mobilidade urbana da capital baiana. Hoje, podemos dizer que a cidade vive uma nova realidade em relação ao transporte público e continuaremos trabalhando para melhorar a vida das pessoas que vivem em Salvador”, comentou o governador Rui Costa.

Integração

Com cerca de 16 milhões de passageiros transportados em 90 mil viagens desde o início da operação, em 11 de junho de 2014, na véspera da Copa do Mundo, o metrô tem capacidade atual de 200 mil usuários/dia. A média diária registrada atualmente é de 25 mil passageiros, mas esse número deve aumentar com a expansão da integração do metrô com os ônibus urbanos e metropolitanos.

Atualmente, 11 linhas metropolitanas e 37 linhas urbanas estão integradas ao metrô, possibilitando que milhares de pessoas vindas de diferentes municípios da Região Metropolitana e bairros de Salvador possam se beneficiar de um transporte rápido, seguro e confortável, ganhando qualidade de vida. Para percorrer o trajeto de metrô, entre as estações Pirajá e Lapa, são necessários apenas 17 minutos, pelo menos metade do tempo necessário para fazer o mesmo percurso de ônibus ou de carro.

Pátio Pirajá
Sede operacional e administrativa da CCR Metrô Bahia, o Pátio Pirajá é um conjunto de edificações onde se localiza o complexo de manutenção dos trens do Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas e o novo Centro de Controle Operacional, além das demais áreas da concessionária.

Com área total de 136 mil m², o Pátio Pirajá está localizado no bairro do Calabetão, ao lado da BR-324, próximo à Estação Pirajá do metrô e ao lado do Terminal Pirajá de ônibus. O espaço foi construído para reunir todos os setores em um só lugar, visando ganho de qualidade e produtividade para a concessionária.

“O pátio oferece todas as condições necessárias para a CCR Metrô Bahia seguir no caminho da excelência na prestação de serviços para a população de Salvador e Lauro de Freitas, oferecendo um transporte eficiente e moderno”, avalia o diretor-presidente da CCR Metrô Bahia, Luis Valença.

O complexo de manutenção compreende 27.600 m² de área construída e conta com os Blocos A, B e C, voltados exclusivamente para as composições metroferroviárias, além dos Blocos N, lavador de trens, e Bloco X, limpeza e sopramento de trens. O maior é o Bloco A, onde se encontra a Oficina de Material Rodante, com área de 16.186,48 m², que reúne a oficina principal, a oficina de apoio com pontes rolantes além de salas operacionais.

Anexo ao Bloco A está o abrigo para o Torno Subterrâneo de Rodeiros (Bloco B, 756,78 m²), que trabalha no reperfilamento (retorno ao perfil original) das rodas dos trens, sem necessidade de desmontá-las. Cada trem tem 32 rodas de aço ou 16 rodeiros, e quando o desgaste no atrito com os trilhos atinge um determinado nível, o reperfilamento é necessário. Além desses, o Bloco J abriga o Centro de Controle Operacional e a área administrativa da concessionária.

Todos esses blocos seguem o mesmo padrão arquitetônico, com cobertura em estrutura metálica apoiada nas vigas de concreto pré-moldado e telhas de aço com isolamento termoacústico. Em todo o Pátio Pirajá foram usados aproximadamente 27.870,00 m³ de concreto, e 1.748.500,00 kg de aço.

A construção do Pátio Pirajá teve a sustentabilidade como guia desde o seu início, o que resultou no reaproveitamento dos resíduos gerados durante as obras. A preocupação está em vários pontos do pátio, que utiliza lâmpadas LED para a iluminação interna e externa e conta uma central de armazenamento de resíduos.

Outros destaques da CCR Metrô Bahia no uso racional de recursos naturais são: estação de tratamento de esgoto, caixa separadora de água e óleo, sistema de aproveitamento de água da chuva e a máquina de lavar trens, que recupera, trata e reutiliza até 95% da água usada na operação de lavagem, que estão em implantação.

Obras da Linha 2 do metrô

As obras de implantação da Linha 2, que ligará a região da Rótula do Abacaxi ao Aeroporto de Salvador, seguem aceleradas. Atualmente, 11 das 12 estações da Linha 2 até o Aeroporto estão em construção e o novo viaduto 2 de Julho (na região do Aeroporto), por onde o trem irá circular, já recebe as fundações.

Com 35% das obras feitas, a previsão de conclusão da linha 2 é em 2017, com a entrega da Estação Aeroporto. Até final de julho desse ano, o primeiro trecho, ligando as estações Acesso Norte e Detran, já deve estar concluído, e até o final de 2016 serão concluídas as obras das estações na Paralela e praticamente toda a via permanente (trilhos).