Referência de educação inclusiva na Bahia, o Colégio Estadual Vitor Soares, localizado no bairro da Ribeira, em Salvador, iniciou, nesta quarta-feira (3), as comemorações pelos 100 anos de criação, que se encerram nesta sexta (5). As atividades incluem apresentações musicais, dança, recitais de poesia, além de torneio de futsal e a realização do Simpósio ‘Novos Caminhos da Educação Inclusiva na Bahia’, com representantes do Ministério Público da Bahia (MP-BA) e do Conselho Estadual de Educação (CEE-BA).

A unidade escolar tem 1.502 estudantes matriculados, sendo 40% com necessidades especiais. Para o diretor Ivan Pedreira, o grande diferencial da escola é a preparação para que o estudante tenha autonomia. “Além das aulas do currículo regular, esportes e das oficinas de artesanato e de música, temos no nosso currículo a disciplina ‘Fazeres do Lar’, quando ensinamos a eles como se virarem no cotidiano em casa. Oferecemos ainda aulas de higiene pessoal e de gastronomia adaptadas para o aprendizado de Matemática, Português, História e Geografia. Isso promove um grande crescimento na qualidade de vida dos alunos, sejam eles de necessidades especiais ou não”.Segundo o diretor, outro diferencial é a formação dos educadores e a integração da escola com as famílias. Todos os professores são especialistas em Educação Inclusiva e há uma boa participação dos pais no acompanhamento dos filhos. “Por isso, realizamos também atividades com eles, como o Canto Coral, e promovemos cursos que possam facilitar a integração de todos, como o de Libras para níveis iniciante e intermediário, chegando a uma carga horária de 360 horas”.

Educacao Inclusiva

Há dez anos toda essa estrutura trouxe uma nova perspectiva de vida para o estudante Reginaldo Silva, 37 anos, deficiente intelectual e físico, que fez do aprendizado com o artesanato uma profissão. “Eu adorava fazer artesanato de madeira e pude aprimorar essa técnica com as oficinas do Colégio Estadual Vitor Soares. Faço vaso, carro e outros objetos. Hoje consigo vender e tenho muitos clientes. O segredo é a divulgação, tenho até um número de WhatsApp para receber os pedidos”.

Para o estudante do 2º ano, Bruno Lima, 16, a grande motivação está nos esportes. “Cheguei aqui há cinco anos, por meio de uma indicação de amigos e pratico futebol, basquete e vôlei. Por isso, fico motivado para estar na escola e aprender nas aulas. Posso garantir que meu desenvolvimento melhorou muito e sou muito agradecido aos professores”.

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado