passeata-contra-dengue-colegio-elisabeth-veloso-18Com cartazes do tipo ‘Não deixe o mosquito estragar a sua vida’ e distribuindo folders explicativos sobre a epidemia da dengue, chikungunya e zika, transmitidas pelo Aedes aegypti, centenas de estudantes do Colégio Estadual Professora Elisabeth Chaves Veloso, acompanhados de seus professores, saíram, nesta quartafeira (20/4), em caminhada pelo bairro do Cabula VI, em Salvador, onde está situada a unidade escolar, com o obje­tivo de conscientizar a comuni­dade sobre o tema. A ação com os alunos do Ensino Fundamental e do Ensino Médio, sob o comando da fanfarra do Elizabeth Veloso – foi a culminância do Projeto de Leitura, uma orientação da Secretaria da Edu­cação do Es­tado para toda a rede de ensino.

“Esta pas­seata é o re­sul­tado de um trabalho multidisciplinar, através do qual os nossos estudantes aprofundaram os temas relacionados às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, através de leituras e entrevistas com a comunidade externa”, afirmou a diretora Vânia Fonseca. A gestora explicou, ainda, que o objetivo do evento é integrar, cada vez mais, os pais de alunos e moradores em geral, para o cotidiano da vida escolar. A professora de Ci­ência Rita de Cássia Leite ressaltou que, em sala de aula, os estudantes se voltaram às pesquisas e à discussão do tema em sala de aula. “É um tra­balho importante de conscientização e multiplicação de conhecimentos”.

O estudante Adelson Maia, 14 anos, 7ª série, membro do colegiado escolar, disse ser “muito importante” a participação de todos em uma ação que visa a conscientização de toda a população. “É um momento de chamarmos a atenção de toda a comunidade da escola e do entorno sobre a necessidade de mudar algumas atitudes para combater o mosquito”, afirmou o aluno, responsável pela criação do folder sobre a tifo, “uma doença bacteriana que pode matar”.

Já Gardênia Carvalho, 12 anos, 6ª série, se tornou “expert” em doença de chagas, tema que trabalhou profundamente no Projeto de Leitura. “Tenho estudado bastante sobre esta doença, que é transmitida pelo barbeiro e é muito perigosa e o pior é que pega as suas vítimas quando elas estão dormindo”, explica. Leitora assídua, Wanessa de Abreu, 14 anos, 8ª série, disse que a conscientização é o primeiro passo para evitar as doenças. “Gosto muito de ler porque abre os nossos horizontes e nos ensina a falar bem e a escrever melhor. E foi por meio de muita leitura que adquirimos conhecimentos para partimos para esta atividade, com a qual esperamos ter ajudado as pessoas a mudarem de atitudes no seu dia a dia”, declara.

Dona Maria Nilda da Silva, mãe do aluno Gabriel Galdino da Silva, 12 anos, 6ª série, atendeu ao convite do filho e marcou presença na caminhada, não escondendo o seu orgulho do garoto, que é membro da fanfarra. “Estou muito feliz de ver o meu filho participando. Fiz questão de participar porque acredito que, assim, estou estimulando o seu desenvolvimento escolar e, ao mesmo tempo, aprendo com ele e os colegas sobre os cuidados que devemos ter para evitar as doenças”.

Fonte: Secretária da educação