Mais de 80 trabalhos de pesquisa científica produzidos pelos estudantes do Centro Estadual de Educação Profissional em Gestão e Tecnologia da Informação Álvaro Melo Vieira (Ceep), localizado em Ilhéus (373 quilômetros de Salvador), estão sendo apresentados na IV Feira Ilheense de Ciências e Tecnologia Social (Feicitecs). A feira, promovida pelo Ceep e iniciada nesta segunda-feira (5), segue até terça (6), das 9h às 20h, no Centro de Convenções de Ilhéus.

Para a coordenadora da feira e professora de Biologia, Maria Iracy Sousa, a Feicitecs se destaca pelo fato de oportunizar que os estudantes demonstrem de forma prática a aprendizagem que têm durante todo o curso. “São projetos desenvolvidos em cinco áreas do conhecimento em que o estudante escolhe a temática a ser estudada a partir dos problemas de sua vivência, tentando solucioná-los”, explica a educadora.

Este é o caso de Bruno Raí Silva, 19 anos, do curso técnico em Biocombustíveis, que é um dos autores do projeto ‘Trânsito acessível: um processo de humanização da população de cegos e deficientes visuais’. Trata-se de um aplicativo de celular que informa, através de vibrações no aparelho, quando o sinal de trânsito está aberto ou fechado. “Um dispositivo instalado nos semáforos envia o sinal para o celular fazendo-o vibrar em três níveis diferentes, conforme o acendimento das luzes no semáforo. Isso ajudará o usuário a se deslocar no trânsito”, explica.

João Victor Ferreira Lima, 18, do curso técnico em Comércio, após ter assistido a uma reportagem sobre violações de preservativos realizadas por grupos de portadores de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), na região Sudeste, criou uma estrutura para evitar este problema. “Nas embalagens dos preservativos são coladas placas de acrílico resistentes a furos e uma pequena bolsa contendo tinta fluorecente. O vazamento da tinta indica que houve tentativa de violação do produto”, informa o estudante.

A Feicitecs reúne projetos desenvolvidos pelos estudantes e orientados por seus professores, com o objetivo de estimular a produção científica. Durante os dois dias de evento eles apresentam seus trabalhos e trocam experiências.

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado