A Comissão Diretora do Senado apresentou, nesta quinta-feira (30), no auditório Petrônio Portela, as diretrizes estratégicas para a administração da Casa para o Biênio 2017-2019 em todos os seus âmbitos: administrativo, legislativo, de apoio da atividade parlamentar e da comunicação social.

— Estamos aqui com um único objetivo: o futuro do Senado Federal e o futuro do Brasil — disse o presidente do Senado, Eunício Oliveira.

Eunício ressaltou que qualquer organização, pública ou privada, só prospera por meio do entendimento e do consenso. Segundo ele, a Comissão Diretora pretende estreitar os laços entre o comando político da Casa e a estrutura funcional que apoia o Senado em diversos aspectos da atividade parlamentar.

— Nessa linha de pensamento, nós, Comissão Diretora, escolhemos entender toda a instituição do Senado como nossa responsabilidade. Escolhemos o diálogo como forma de realizar parte do objetivo para os quais fomos eleitos — destacou.

O presidente do Senado ainda afirmou a importância do aprimoramento institucional da Casa por meio de metas compartilhadas. De acordo ele, as diretrizes estratégicas são um guia para potencializar o desenvolvimento e não representam um dado estático do novo sistema de gestão, mas sim algo que pode ser mudado com a participação dos funcionários.

— Juntos e comprometidos podemos muito mais. Essa será uma administração partilhada e harmoniosa na busca de entendimento — disse.

Entre as diretrizes apresentadas, está ampliar a oferta de informação legislativa, promover a saúde do trabalhador e dar continuidade aos planos de logística sustentável, acessibilidade e equidade.

Também estão entre as orientações do Senado para os próximos 24 meses a readequação do quadro de pessoal e o reforço dos mecanismos de transparência ativa e da política de dados abertos.

Palestra

O evento teve ainda uma palestra do fundador da organização Amana-Key, Oscar Motomura, sobre os novos desafios para a gestão pública. Oscar ressaltou a criatividade e a iniciativa como pontos fundamentais para superar desafios impostos em busca de um bem comum.

Motomura ainda destacou a importância dos servidores não se conformarem com o estado das coisas e tentarem ser agentes de mudanças, cuidando para que erros já cometidos no passado não sejam repetidos.

— É importante não cometer os mesmos erros já cometidos no país e observar o que funcionou em outros países. Nós, como organização, temos que estar sempre meio passo a frente — frisou.

Agência Senado