A Polícia Federal fez uma grande operação contra pedofilia,  e prendeu nesta terça-feira 30 suspeitos na segunda fase de uma das maiores operações de combate à pornografia infantil no Brasil, que desarticulou uma rede de pedofilia na internet através da investigação de um site russo usado por pedófilos do mundo todo, informou a PF.
A chamada operação Glasnot, deflagrada inicialmente em 2013, cumpriu 72 mandados de busca e apreensão, três de prisão preventiva e dois de condução coercitiva em 51 municípios brasileiros em 14 Estados nesta terça.
Além dos três mandados de prisão preventiva expedidos pela Justiça, a Polícia Federal prendeu outros 27 suspeitos em flagrante durante a ação.
A operação se baseou no monitoramento de um site russo utilizado por pedófilos brasileiros e estrangeiros, que resultou na identificação de suspeitos de compartilhamento, posse e produção de pornografia infantil, além de suspeitos de abuso de vulnerável e de vítimas de abuso, de acordo com a polícia.
“Os investigados produziam e armazenavam fotos e vídeos de crianças, adolescentes e até mesmo de bebês com poucos meses de vida, muitos deles sendo abusados sexualmente por adultos, e as enviavam para contatos no Brasil e no exterior”, afirmou a PF em comunicado.
Grande parte dos investigados divulgava a pornografia infantil através de servidores da Rússia, segundo a PF, acrescentando que o nome da operação significa transparência em russo.

– Em coletiva de imprensa na sede da Polícia Federal, em Curitiba, o delegado Fábio Augusto Palma Setti, coordenador da operação, afirmou que não foi detectado um perfil específico de pessoas que consomem materiais de pornografia infantil na internet. A identidade dos suspeitos não foi revelada para não colocar em risco as vítimas de abuso.
– Foram presos estudantes de 19 e 20 anos, um homem com 80 anos de idade, que mal respirava para sair da cama, professores, médicos, pessoas muito simples, de condição precária, e outras de condição financeira muito favorável. Foram presos funcionários de alto escalão de determinados órgãos, embora não pela atuação nesses órgãos e sim pela atuação nos bastidores. Então não um existe perfil específico (do pedófilo). Em uma das ações desmembradas antes foi presa uma mulher, por exemplo – contou.

Marcio Ramos

Jornalista DRT 5202/BA