Com o esgotamento do estoque argentino de trigo, as empresas sergipanas que importam o produto poderão ter que comprar dos Estados Unidos ou do Uruguai. O produto vindo do norte está com os preços em média 20% mais salgados e a Argentina não terá trigo até novembro quando começa sua nova colheita.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Historicamente a Argentina é o principal fornecedor do produto para o estado. No entanto quando a safra do país é baixa, as empresas adquirem o produto no Uruguai ou em outros lugares como os Estados Unidos, como ocorreu em alguns anos.

No primeiro trimestre de 2016, as compras do estado vieram dos dois países sul-americanos e totalizam mais de 34 mil toneladas, somando US$ 6,3 milhões. Em termos relativos à quantidade importada cresceu 8,0%, enquanto que o valor pago por uma quantidade maior adquirida caiu mais de 20%. Tudo isso em relação aos três primeiros meses do ano passado.

Um dos motivos para a queda nos preços na Argentina é a retirada da tarifa de venda externa posta em prática pelo novo Presidente do país, Maurício Macri.

Fonte: Fies